Se virando: em alguns momentos até Hollywood resolve no jeitinho
março 15, 2016
Pedro Vilhena (189 articles)
0 Comentários
Compartilhar

Se virando: em alguns momentos até Hollywood resolve no jeitinho

Faz bem pra auto-estima ver Hollywood usando recursos a que qualquer videomaker independente precisa recorrer. O site cracked.com fez uma lista divertida e um pouco surpreendente de longas que usaram coisas como velocidade reversa e stock footage pra resolver problemas na pós – com resultados muitas vezes duvidosos, mas que eu pelo menos nunca tinha notado.

Material de arquivo

O Michael Bay reutilizou em Transformers um plano marítimo de Pearl Harbor…


….reutilizou em Transformers 2 um cena de drone de Transformers….

…e reutilizou em Transformers 3 a mesma cena de acidente que havia gravado em A Ilha.

Mas a favor dele muita gente graúda faz isso, como Ridley Scott, que usou no fim de Blade Runner o material de helicóptero excedente que o Kubrick tinha rodado pra O Iluminado. Ou o George Lucas, que reutilizou cenas do Conselho Jedi em dois dos prequels de Star Wars….

…e até o ORSON WELLES, que reutilizou material de O Filho de Kong pro fundo de uma cena de piquenique em Cidadão Kane. Nesse caso o dano colateral foi ter pterodáctilos voando ali no fundo, de boas:

Vamos de boneco

Essa não é uma técnica de pós, mas tive que colocar. Já ficou famoso o bebê de plástico de American Sniper – típico de quando você não consegue o alvará a tempo…

…mas eu não tinha me ligado neste maravilhoso exemplar de homem aranha rígido, interagindo com uma cândida Mary Jane….

…ou na Sigourney Weaver carregando essa criança espanador:

De trás pra frente

Gosto muito deste exemplo de Anaconda, filme trash a que assisti mas não percebi a maravilhosa cachoeira que sobe. E a razão de gostar é que você olha e pensa “porra essa nem eu deixava passar”:


…provavelmente não deu tempo de gravar o barco saindo, só chegando. Ou era aquele AD meio louco, mas super gente boa. Já a abertura do mar em Os Dez Mandamentos é um clássico do bom reverse, mas não deixa de ser uma boa lembrança:


….e por fim Pulp Fiction, em que a cena do Travolta espetando uma seringa na Uma Thurman foi feita de trás pra frente. Esse quase não dá pra notar, e a razão é que obviamente foi algo decidido ainda no set pela segurança da atriz:

“Dry for Wet”

Pra cenas submersas, quando não dá pra usar uma GoPro (quase nunca, a menos que você esteja gravando pro OFF néam), alugar uma piscina de salto ornamental, meter a equipe em cilindros e caixas estanques pode ficar caro. Se o take que você precisa é simples, joga uns ventiladores, pede figurino com sobra de pano e resolve na pós! Tipo essa cena de O Senhor dos Anéis…

…ou essa de The Spirit, a que temos acesso ao curioso making of:

Noite Americana

Noturnas não são fáceis. Quando não se tem guindastes com softboxes gigantes como em Spectre, nem é desejável trabalhar com pouca profundidade, você pode fazer noite americana e resolver na pós. Desde o filme homônimo do Truffaut essa já é uma técnica by the book, claro. Recentemente em Mad Max o John Seale deitou e rolou:




.
..eles estilizaram bem, até porque Mad Max foi rodado com a pós em mente. Já Spielberg até pegou leve em Tubarão, e o efeito ficou bem convincente:


…e claro, não foi necessariamente por falta de orçamento, mas por conveniência. Provavelmente seria trabalho até pra ele convencer a mocinha a entrar de noite na água fria, e ainda iluminar tudo pra rodar em 35mm…gente como a gente.

Comentários

Nenhum Comentário Ainda! Seja o primeiro a comentar este post.

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros. Seu endereço de email não será publicado. Os outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados com *