Artigos

Quase todo mundo já conhece o morph cut, ferramenta incorporada há uns 2 anos na maioria dos softwares de edição. Ela basicamente analisa os pixels de duas cenas e gera uma transição artificial. Algumas versões como a do Premiere incluem um algoritmo

Faz bem pra auto-estima ver Hollywood usando recursos a que qualquer videomaker independente precisa recorrer. O site cracked.com fez uma lista divertida e um pouco surpreendente de longas que usaram coisas como velocidade reversa e stock footage pra resolver problemas

Sou muito feliz de ter assistido a O Regresso numa tela IMAX. O roteiro é clichê e o DiCaprio já esteve melhor (até porque mal fala), mas a fotografia…não à toa Lubezki levou o terceiro Oscar seguido. Pra mim foi uma experiência

O preto e branco está voltando com vontade. Antigamente, para fotografar em PB era necessário um filme específico como Tri-X ou T-MAX. Com o surgimento das câmeras digitais o hype se tornou sensibilidade, textura e saturação, sem que o mercado se

Muito se fala sobre o formato de The Hateful Eight, o tal Ultra Panavision 70mm. Quase sempre as pessoas não sabem do que realmente se trata. Será algo real ou um golpe de marketing? Dá pra notar alguma diferença?

É sempre divertido analisar a fotografia das grandes produções. O Hoyte van Hoytema é um DoP que nos últimos 10 anos escalou o monte Hollywood até o topo. Gosto do trabalho dele em O Espião que Sabia Demais, Her e

Chegou a hora de falar sobre realidade virtual como experiência de cinema. Longe de futurologia, a internet já está cheia de conteúdo RV (ou que se diz RV), e todo o mercado está se mobilizando para sua produção. 

O primeiro longa da Netflix é uma produção independente que acompanha a vida do menino Agu. Separado de sua família num país africano, o garoto é forçado a lutar com um grupo rebelde durante a guerra civil. Não é um filme

No começo todo mundo só liga pras câmeras, mas eventualmente se entende que boa luz é fundamental. Acontece que é difícil conseguir informações porque iluminação é algo muito prático, e mesmo quando não querem manter a mística da profissão os

Você viu Mad Max: Fury Road? Gostou? São altas as chances de responder “sim” às duas perguntas. O segredo do sucesso do filme que tomou os cinemas (e as bilheterias) de assalto é um inegável “mojo” que o diferencia dos longas