Anamórfico: o que, como e por quê.
julho 23, 2011
Pedro Vilhena (189 articles)
18 comments
Compartilhar

Anamórfico: o que, como e por quê.

Houve um tempo em que o mundo da tv, vídeo e até o youtube seguiam a proporção 4:3, e qualquer coisa mais larga que isso parecia charmosa e profissional.  Hoje, até os smartphones fazem vídeos em 16:9, todo mundo tem uma DSLR e TV widescreen não é mais um diferencial. Como seguir então? Alargando mais. Bem vindos à nova moda do anamórfico.

O que é

(Vou explicar desde o começo; se já sabe, pule esta parte.)

Talvez você já tenha notado que mesmo numa LCD de 52 polegadas Full HD muitos filmes ainda ficam com barras pretas embaixo e em cima. Foram filmados numa proporção mais larga que o widescreen, por dois motivos básicos: a disposição horizontal dos nossos olhos torna mais agradável ver uma imagem retangular, e esse formato também permite compor as cenas de um jeito mais livre. Anamórfico é justamente a denominação que abriga essas proporções de frame diferenciadas. Não se refere a uma única – 1:2.35, 1:2.70, 1:3.56 são todos formatos anamórficos. O primeiro no entanto é mais comum, e conhecido como “Cinemascope”.

Para chegar a esses formatos “super wide”, alguém poderia pensar em apenas cortar partes em cima e embaixo de cada quadro. Mas trabalhando com película, isso significaria diminuir a área do negativo e consequentemente a resolução da projeção, o que não é uma boa opção. Mudar a proporção do filme também traria problemas de compatibilidade na cadeia de produção e exibição (principalmente há 50 anos atrás, quando tudo isso apareceu). Por isso, os fabricantes inventaram lentes que captavam em Cinemascope e “apertavam” o material para caber no negativo 16:9 (veja imagem abaixo). Depois, na exibição, passava-se a projeção novamente por uma dessas lentes e o efeito contrário acontecia – assistia-se a uma imagem mais retangular que o próprio negativo.

Ilustração de uma cena cinemascope normal "apertada" para caber num negativo

 

Pela sua construção, além dessa propriedade as lentes anamórficas trazem outros efeitos: qualquer ponto de luz direcionado diretamente para a câmera causa um flare horizontal e fino, e objetos e pontos de luz desfocados tendem a ficar ovalados.

Como

Lentes anamórficas são usadas até hoje profissionalmente, e ficam na casa de US$50.000,00. Mas modelos antigos sempre circularam entre colecionadores, que os trocavam a preço baixo no Ebay.  Até que alguém pensou em colocar um desses numa DSLR, e descobriu que bastava redimensionar o “aperto” no software de edição para chegar a um ótimo resultado: cinemascope sem perda de resolução, com buquê ovalado e flares horizontais, numa câmera de menos de US$1.000. A partir daí, os preços de adaptadores anamórficos vintage explodiram e hoje chegam a custar 10 vezes mais que antes da “moda”.

Hoje existe um mercado cheio de opções – lentes mais claras, mais práticas, reconhecidas, desconhecidas, etc. O que define as campeãs é a praticidade. Essas lentes vintage são na verdade adaptadores, sendo usadas na frente da lente primária da câmera, e isso faz com que se tenha que focar ambas para cada cena. Mas os Iscoramas, da empresa alemã de mesmo nome, tem uma montagem diferente que permite deixar a primeira lente em infinito e focar apenas o adaptador. Nenhum outro faz isso, porque eles patentearam o sistema; assim, os Iscos são hoje os mais desejáveis e mais caros, na faixa de US$2.000 – 4.000 (!). Em seguida na lista, os mais disputados são Kowa 16-H/8-Z, Sankor 16-C, que possuem preço bem mais acessível (US$400 – 900), tamanho bom e conservam boa qualidade óptica. E ainda há um monte de lentes, como Hypergonar (enorme), Lomo (enorme e com qualidade variável), Proskar, Möller, com resultados que variam.

 

 

Correndo por fora, também há o Century Optics e a Panasonic LA7200. Lá atrás esses adaptadores eram usados para transformar câmeras 4:3 em 16:9, mas numa DSLR entregam imagem muito próxima de cinemascope (esticam 1.33x). São lentes diferentes no entanto, que produzem um flare azul um pouco artificial e não fazem buquê ovalado. Não precisam ser focadas, o que nesse caso está mais pra problema, pois há distâncias e aberturas em que simplesmente não entregam foco. O fato de serem dimensionadas para sensores menores tmb leva a perderem muita luz e sharpness nas bordas. Ainda assim, há quem os use com sucesso, com a ajuda de dioptros.

Por quê

Há uma série de razões pelas quais você pode querer adotar o visual anamórfico. Se estiver produzindo para web, pode dar saída no formato mais retangular apenas “cropando” o vídeo (editando em 1280×544, por exemplo) e já ganhar o diferencial com o cliente e a platéia leiga, que é o que 70% das pessoas ainda faz. Mas não terá o flare, o buquê e o verniz vintage que só as lentes entregam. Veja o vídeo abaixo para um bom exemplo de anamórfica em ação:

 

 

É uma tentação produzir algo com esse look, especialmente em cenas noturnas. Em Hollywood, filmes de ficção científica sempre usam anamórficas. Já viu Star Trek? O diretor J. J. Abrams tinha um contra regra para apontar uma lanterna diretamente para a câmera em várias cenas, só para ter o flare (até passou do ponto na minha opinião). O que deve ser considerado é a dificuldade de trabalhar com esses adaptadores num workflow DSLR, que não é pouca.

Experiência pessoal

Já tive uma Proskar 8 1.5x, comprada após muita pesquisa. O Iscorama já era muito caro, e não me atraíram as Kowa e Sankor porque seu squeeze é muito grande – 2x, que deixa a imagem muito horizontal pro meu gosto. A Proskar veio muito bem recomendada por um vendedor que já conhecia. Sua qualidade ótica realmente era ok, roubando saturação e sharpness suficientes para um visual cinemático (Canons tem em excesso). Mas três coisas me incomodaram: focar duas lentes é um processo inviável para uma rotina de guerrilha; a montagem é complicada, pois a lente deve ser alinhada corretamente ou o flare horizontal fica torto; e ela roubava 2 pontos de luz da imagem, transformando minha lente f/1.4 em f/2.8.  Tendo tudo isso em vista, vendi a Proskar e recorri a um produto de que ainda não falei: o filtro anamórfico da Vid-Atlantic. Ele é rosqueável na sua lente e simula tanto o flare quanto o buquê oval, é mínimo e não precisa focar. Tudo o que pede em troca são 2 pontos de luz – o mesmo que eu perdia antes.

FIltro anamórfico: repare o flare discreto à esquerda, e loucura à direita.

 

O filtro realmente funciona, mas tem o problema de gerar flare demais às vezes. A moral é que realmente ainda não há ferramenta perfeita nesse sentido, tirando os Iscos. Se você, como eu, não topa pagar US$3.000 numa lente da segunda guerra que até há pouco custava US$300, o negócio é realmente diversificar os recursos de acordo com a ocasião, ou aguardar que alguma empresa finalmente lance uma anamórfica nova para o mercado HDSLR.

Comentários

  1. Filipe Moraes
    Filipe Moraes julho 23, 23:59
    Muito interessante e insrtrutivo.
  2. Wagner Santin
    Wagner Santin julho 29, 15:21
    Ótima matéria amigo! Estamos iniciando projetos com as lentes anamórficas + DSLR. Atualmente temos duas proskar 16-A, 1bolex anamorphot 16/32/1,5x e uma sankor anamorphic adapter-B ( grande). Estou esperando chegar os aneis adapatadores pra fazer uns testes com elas. Nossa próxima aquisição provavlemtne será o filtro da vid- atalntic, você tem algum link de video feito com o teu pra postar? Abraço
    • pedrolho
      pedrolho agosto 06, 23:06
      Olá Wagner. Por enquanto não tenho nenhum vídeo postado com o filtro; estou pra editar um material que gravei só usando ele (as fotos no post são daí), mas deve levar um tempo (mto trabalho...). De qualquer jeito acho que o melhor uso dele é o que vc pode fazer: praquelas cenas onde não é prático usar as anamórficas de verdade, mas mantendo o "look" geral de modo que cortem bem com as outras do projeto, em que usou os adaptadores. Abraço!
  3. Cláudio Júlio
    Cláudio Júlio agosto 24, 22:33
    Excelente matéria! Existe lentes anamórficas feitas especificamente para canon 5d mark ii e 7d? Obrigado!
    • pedrolho
      pedrolho agosto 24, 22:46
      Cláudio, infelizmente por hora não. Torcemos para algum fabricante lançar, mas o boato é que lentes anamórficas tem custo de produção alto...abraço!
  4. Fernando André
    Fernando André setembro 18, 04:30
    Olá, muito bom seu artigo. Eu comprei uma Isco Gottingen 2x, do ebay: http://www.ebay.com/itm/300759924021?ssPageName=STRK:MEWNX:IT&_trksid=p3984.m1497.l2649 Ainda não chegou em minhas mãos, então queria perguntar se você sabe o quanto ela vai 'roubar' de luz da minha 50mm 1.4. Abraço!
  5. pedrolho
    pedrolho setembro 18, 04:52
    Fala Fernando. Depende um pouco da lente e sua conservação, mas geralmente você perderá uns 2 pontos de luz - o que significa que em f/1.4 na lente principal, você terá luz de f/2.8. Só fique alerta que, em 50mm, você pode ter vignetting com estas Iscos. Se acontecer, compre uma Helios 58mm f/2, que é uma lente super barata e durável como um tanque. Fácil de encontrar no Ebay. Abraço.
  6. [...] Em Battlefield 3 não podia ser diferente. A DICE decidiu por um filtro com uma tonalidade azul (além da Lente anamórfica), e os modders fizeram o que sabem de melhor: Deram um Upgrade num jogo onde o visual já era [...]
  7. filipe costa
    filipe costa outubro 14, 00:30
    belo artigo
  8. Aldo Grisi
    Aldo Grisi abril 06, 14:53
    Muito boas suas explicações sobre as Anamórficas, possuo no Brasil as primeiras e unicas Hawk e hoje sao sucesso nos principais filmes publicitario. Demorou mais pegou.Abrcs Lente anamorfica squeeze 2:1 , Hawk PL Anamorphic Prime: 35mm T1:2 , 50mm T1:2, 75mm T 1:2, 100mm T1:2.8, 135mm T1:3.2
    • pedrolho
      pedrolho abril 12, 19:34
      Muito legal Aldo. Deixe um contato seu pra locação! Abs.
  9. Marco Fuse
    Marco Fuse julho 31, 16:15
    Bom artigo. Mas fiquei com uma questão em aberto: Esse filtro da Vid-Atlantic expande a imagem como uma Anamórfica ou só proporciona o flare e o bokeh ovalado? Abraço!
    • Pedro Vilhena
      Pedro Vilhena Autor agosto 08, 16:46
      Só o flare e bokeh ovalados Marcos. Tem um novo adaptador anamórfico da SLR Magic que faz tudo, esticando a imagem; dá uma olhada em http://www.slrmagic.co.uk/slr-magic-anamorphot-133x-50-anamorphic-adapter.html
  10. Marcelo
    Marcelo novembro 19, 17:36
    Opa Pedro, tudo bem? Quando você diz: "roubando saturação e sharpness suficientes para um visual cinemático (Canons tem em excesso)" Você quis dizer que as cannons tem uma levada mais cinemática com menos sharpness? Abs.
    • Pedro Vilhena
      Pedro Vilhena Autor novembro 23, 13:13
      Não, pelo contrário. Nas DSLR o perfil de cor padrão tem contraste e sharpness excessivos pra vídeo, especialmente se você está gravando pessoas (tons de pele). As lentes antigas dão uma detonada nisso, tornando a imagem mais cinemática. Se você usa lentes novas, o melhor é customizar o perfil tirando todo o contraste, todo o sharpness (aí devolve algum na pós, porque o algoritmo é melhor) e dois pontos de saturação. Importante dizer que nas câmeras mais profissionais (C100, C300, C500) isso já foi resolvido com a adição do perfil Canon LOG.
  11. Thiago Vianna
    Thiago Vianna janeiro 09, 21:24
    Fala Pedro, tranquilo? cara, estes adaptadores só estão disponíveis fora do Brasil?
    • Pedro Vilhena
      Pedro Vilhena Autor janeiro 12, 03:30
      Cara, infelizmente sim. Vc pode conseguir comprando de segunda mão de locadoras! Novos, ainda que a moda por anamórfico esteja forte na propaganda, nunca ouvi falar de quem venda. Acho que é uma importação bem específica e o pessoal acha que não vale o risco, como acontece com muitos equipos. Dito isso, se você estiver pensando em comprar lentes anamórficas dá uma olhada nas coisas da SLRMagic. Eles começaram há um tempo a fabricar lentes a preços muito bons!
  12. […] Isso é que é o Ultra Panavision 70mm: um formato anamórfico extremo, mais retangular que qualquer outro. Pra entender completamente você pode querer aprender como funciona a captação anamórfica, de que falo num post antigo do blog. […]

Escrever comentário

Seus dados estarão seguros. Seu endereço de email não será publicado. Os outros dados também não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados com *